Você sabe o que são esports?

Deivlin Vale  - 05 de maio 2021 ás 15h56

Os esports são modalidades competitivas que não necessitam do exercício físico, mas dependem exclusivamente do uso de aparelhos tecnológicos, como computadores, consoles de videogames e celulares, além de ter como princípio, um modelo de competição entre dois jogadores ou mais.

A primeira competição de que se tem registro foi realizada em outubro de 1972, na Universidade de Stanford, na Califórnia. Havia um panfleto grudado no quadro de avisos dos alunos de ciência da computação, que convidava os estudantes a participar da novidade: “A primeira ‘Olimpíada Espacial Intergaláctica’ será realizada nesta quarta-feira, 19 de outubro, às 20 horas. O prêmio principal será a assinatura de um ano da revista Rolling Stone. O evento de gala terá a cobertura de Stewart Brand, da Stone Sports, e fotografado por Annie Liebowitz. Cerveja grátis!”

Fonte: Reprodução

Spacewar era um jogo simples, mas uma grande inovação para o entretenimento dos que viviam naqueles tempos. Duas naves espaciais e um pequeno buraco negro no centro eram exibidos em uma tela de tubo. Enquanto as naves deslizam no espaço e torpedos são lançados na tentativa de atingir o oponente, a difícil jogabilidade faz com que as pequenas embarcações sejam sugadas para o interior da tela.

Nas duas primeiras linhas de sua reportagem, Stewart anunciou: “Prontos ou não, os computadores estão chegando ao povo. Essa é uma boa notícia, talvez a melhor desde os psicodélicos”. Nos dias de hoje, a comparação de Stewart lhe renderia um processo e muitas críticas, mas como ele foi uma das pessoas que participaram do estudo sobre a dietilamida do ácido lisérgico, substância muito utilizada na época para fins recreativos e como uma alternativa para a fuga da realidade, não houve problema algum. O biólogo e designer, que trabalhava como jornalista freelancer na Whole Earth Catalog, detalhou o início tímido de algo que se tornaria uma febre entre os jovens das décadas seguintes, ou, como ele insinuou, uma alucinação.

A matéria de Stewart precisou explicar com detalhes para os leitores o que era um jogo de computador e como ele funcionava.

“Duas dúzias de nós estão presos em uma sala semiescura, perto do salão principal, que contém o computador PDP-10, do Laboratório de Inteligência Artificial de Stanford (AI). O chefe da programação de sistemas, Ralph Gorin, o mais ávido jogador de Spacewar está de frente a uma tela que diz apenas: ‘o console está disponível’. Ele bate no teclado com suas iniciais: Click clickclickclick click…

Enquanto as equipes disputavam o trono pela primeira competição de esports da história — mesmo sem saber —, a lendária fotógrafa Annie Leibovitz, que participou da turnê dos Rolling Stones durante três anos nos anos 80, registrava o evento.

“Quatro horas intensas, muita ação frenética e habilidosa […], a cena mais agitada que passei desde os testes ácidos em Merry Prankster… E isso é apenas uma noite normal no laboratório de IA […]. Algo básico…”

Os jogadores Slim Tovar e Robert E. Maas venceram a competição por equipes. Bruce Baumgart ganhou o Free-For-All — modo de jogo “cada um por si”.

Space Invaders Championship, o primeiro campeonato oficial

Em 1980, a Atari foi a primeira empresa a realizar um campeonato no mundo. O Space Invaders já era febre entre as crianças ao redor do globo, e a competição reuniu mais de 10 mil pessoas. Mesmo com números impressionantes, apenas a revista Electronic Games Magazine, especializada em jogos eletrônicos, cobriu o evento. Há poucos registros de como funcionou o campeonato, mas o que se sabe com plena convicção é que a primeira pessoa a ganhar um campeonato de videogames foi Rebecca Heineman, que tinha apenas 17 anos naquela época. Como premiação, ela ganhou um arcade, também conhecido como fliperama.

QuakeCon, o primeiro campeonato de PC

No ano de 1996, a QuakeCon foi o evento que deu início à era das competições presenciais dos jogos eletrônicos de computador, em Best Western, Texas. O pequeno espetáculo foi produzido por fãs e entusiastas do jogo Quake, lançado pela id Software, a mesma desenvolvedora de Doom. Embora fosse uma competição, os próprios jogadores que levavam os seus computadores pessoais para participar, não de forma online, mas sim conectados em uma rede local (LAN).

Os únicos registros da competição foram feitos pelos próprios jogadores, entre eles, Rich “Lowtax” Kyanka, um dos criadores do blog Something Awful. A publicação do primeiro torneio só chegou em 9 de agosto de 2000 em sua página. Na publicação de mais de 6 páginas, Lowtax não tinha como prioridade a informação; o artigo funcionava mais como umdiário, mas que ajudou a traçar o perfil dos jogadores dos anos 90:

“Angela [namorada de Lowtax] ficou instantaneamente impressionada com a qualidade das roupas que as pessoas escolheram para usar neste evento ilustre. Eu tentei explicar a ela que 90% do guarda-roupa de um jogador é composto por roupas distribuídas por empresas de fabricação de componentes de rede em festas da LAN. Um verdadeiro sinal de ”l33tness” [lê-se “eliteness”, que significa “qualidade ou estado de ser da elite”] é quantas semanas se pode passar sem usar a mesma camisa do fabricante da placa de vídeo duas vezes.

Na primeira QuakeCon, cerca de 100 pessoas participaram dos dois dias do evento. No ano seguinte, em 1997, o evento conseguiu reunir algo em torno de 650 pessoas, segundo registros da própria id Software.

Fonte: Reprodução

Em 2000, foram realizados 28 torneios oficiais de Quake III, totalizando mais de US$ 415 mil em premiações. Apesar disso, o esport ainda não era pautado na grande mídia, e foi a própria comunidade que fez com que mídias tradicionais olhassem para o esporte eletrônico como algo valoroso. Apenas com persistência e amor aos jogos que foi possível a criação de novos moldes competitivos.

ESPORTS NA MÍDIA

Enquanto no Brasil as pessoas ainda estavam conhecendo o movimento dos esports, nos Estados Unidos e na Europa, jogadores e entusiastas já falavam dos problemas causados pela falta de reconhecimento do cenário, resultado da baixa exposição midiática. Em 29 de dezembro de 2010, Patrick Miller — hoje designer da Riot Games, criadora do League of Legends — escreveu em seu blog as dificuldades de ser um jogador profissional naquela época. Patrick ressaltou em seu texto o problema de não ver sobre a modalidade nos jornais tradicionais e na maior emissora de esportes do mundo, a ESPN.

“Você não costuma ler sobre esports nos jornais ou na ESPN (ainda não). Mas a vida como jogador profissional pode render bons frutos: jogadores de alto nível de jogos de PC como StarCraft II e Quake Live, e de títulos de consoles como Super Street Fighter IV e Halo, podem ganhar a vida ganhando competições e patrocínios — e se você é Jang Min-Chul, que venceu o Park Seo-Yong por quatro jogos a um [no campeonato mundial de StarCraft II], pode ser uma experiência muito confortável.”

Os esportes eletrônicos só ganharam um real espaço na grande mídia graças ao engajamento gerado pelos fãs dos esports na Internet. Após anos de insistência — e muito dinheiro das grandes empresas — os esportes eletrônicos finalmente estão presentes no dia a dia dos jornais mundiais.

Tags