Scarlett Johansson processa Disney por lançamento de Viúva Negra no streaming

Tiago Minervino  - 30 de julho 2021 ás 11h00

A atriz Scarlett Johansson entrou com uma ação na Justiça contra a Disney devido ao fato de a empresa ter lançado o filme Viúva Negra, do qual ela é protagonista, de forma simultânea em seu streaming no mesmo dia em que o longa foi lançado nos cinemas (via The Wall Street Journal).

Nos autos do processo, a artista alega que a Disney violou seu contrato com a Marvel que garantia o lançamento exclusivo da produção no cinema. No entanto, com a chegada do filme ao Disney+ no mesmo dia, isso impactou na arrecadação da produção nas bilheterias e, consequentemente, em seu salário, uma vez que seus rendimentos também dependem da arrecadação nas salas de exibição.

“Este não será certamente o último caso em que talentos de Hollywood enfrentam a Disney e deixam claro que, independentemente do que a empresa possa pretender, ela tem a obrigação legal de honrar seus contratos”, disse John Berlinski, advogado da Kasowitz Benson Torres LLP, que representa Scarlet.

Ainda segundo a ação impetrada no Tribunal Superior de Los Angeles, os representantes da atriz tentaram renegociar seu contrato, mas a Disney e a Marvel não teriam respondido à artista.

Scarlett Johansson se tornou um dos principais nomes do Universo Cinematográfico Marvel ao dar vida à personagem Natasha Romanoff. Ela entrou no MCU em 2010, em Homem de Ferro 2, e se despediu das produções da Marvel em 2021 com o filme solo da espiã, Viúva Negra.

O outro lado

A Disney respondeu às acusações e lamentou o posicionamento da atriz, dizendo que “não há mérito” na ação legal, já que Scarlett Johansson recebeu US$ 20 milhões pelo filme. Além disso, o lançamento no Disney+ também aumentou a compensação da atriz.

“O processo é especialmente triste e angustiante pelo desrespeito em relação aos terríveis e prolongados efeitos globais da pandemia Covid-19”, afirmou a empresa em declaração oficial (via Variety).

Viúva Negra foi lançado no início de julho e se tornou a melhor estreia para um filme durante a pandemia de Covid-19, com uma arrecadação de US$ 158,800 milhões (R$ 823 milhões) nas bilheterias de todo o mundo, em seu primeiro final de semana de exibição. No mesmo período, o longa faturou US$ 60 milhões (R$ 315 milhões) com a chegada ao streaming do Disney+.