Relembre a trajetória de Mortal Kombat nos cinemas e na TV

Tiago Minervino  - 06 de agosto 2021 ás 14h00

Um dos jogos eletrônicos de maior popularidade da história, Mortal Kombat transcendeu o universo dos games e ganhou uma versão estendida com adaptações para as telonas e as telinhas. No total, a franquia conta com 14 edições dos jogos, três filmes live-action lançados, além de alguns títulos para a TV e a web.

Desde o lançamento do primeiro título do jogo em 1992, não demorou muito para o game ganhar uma adaptação para os cinemas, fazendo sua estreia nas salas de exibição em 1995. Entre erros e acertos, o universo expandido de Mortal Kombat culmina em um reboot lançado em 2021.

Abaixo, confira uma linha do tempo dos produtos audiovisuais do jogo. Confira:

Mortal Kombat: O Filme (1995)

Relembre a trajetória de Mortal Kombat nos cinemas e na TV
Fonte: Reprodução/New Line Cinema

Três anos depois de chegar ao mercado de games, o jogo estreou nos cinemas e, logo de cara, foi um verdadeiro sucesso de bilheterias. Com orçamento de US$ 18 milhões, conseguiu arrecadar US$ 122 milhões. No entanto, a crítica não foi tão generosa com o longa, que considerou o enredo fraco e a atuação dos atores aquém do esperado.

Em Mortal Kombat, vários lutadores são convocados para um torneio que coloca o planeta Terra sob ameaça. Os lutadores do Reino da Terra precisam impedir que o imperador de Outworld invada o nosso planeta.

O longa não deixou de fora alguns dos principais elementos do game, como os Fatalities e golpes dos lutadores. A atração chegou às telonas com classificação indicativa de 13 anos, o que acabou sendo um empecilho para os produtores, que precisaram atenuar a violência tão característica do jogo, além de evitar o uso recorrentes de palavrões.

O primeiro filme da franquia foi dirigido por Paul W. S. Anderson e contou com Robin Show, Christopher Lambert, Bridgette Wilson e Linden Ashby no elenco. Inicialmente, a atriz Cameron Diaz seria a intérprete de Sonya Blade, mas ela quebrou o punho e foi substituída por Wilson.

Mortal Kombat: Os Defensores da Terra (1996)

Fonte: Reprodução/New Line Home Video

A franquia virou série animada ambientada no Plano Terreno e na Exoterra, após os eventos do filme do ano anterior, e relata as batalhas contra Shao Kahn e o seu exército, para impedir que eles dominem a Terra. A série introduz o personagem Quan Chi, o vilão do jogo Mortal Kombat 4.

Mortal Kombat: Os Defensores da Terra foi desenvolvida pela Threshold Entertainment. No total, a trama conta com 13 episódios e o contexto violento do game precisou ser suprimido quase que em sua totalidade, por ser destinado a um público infantil.

Mortal Kombat: A Aniquilação (1997)

Relembre a trajetória de Mortal Kombat nos cinemas e na TV
Fonte: Reprodução/New Line Cinema

Dois anos depois do primeiro live-action, Mortal Kombat: A Aniquilação foi lançado e, ao contrário de seu antecessor, não obteve o mesmo sucesso de arrecadação, embora tenha sido igualmente criticado.

Aqui, enquanto os humanos comemoravam sua vitória sobre o Outworld, o imperador Shao Khan viola a lei do Mortal Kombat e ataca novamente o mundo dos homens. A vida na Terra está por um fio, e só a coragem e força dos guerreiros poderá derrotar o inimigo.

Mais uma vez o roteiro, a atuação, as lutas e os efeitos visuais do filme foram considerados ruins, o que acabou afastando o público. No site Rotten Tomatoes, o longa recebeu apenas 2% de aprovação.

Boa parte do elenco original optou por não voltar para a segunda produção após tomarem conhecimento do roteiro, e até mesmo Paul W. S. Anderson não aceitou dirigir a sequência, sendo substituído por John R. Leonetti. A obra custou US$ 30 milhões e faturou US$ 51 milhões.

Mortal Kombat: A Conquista (1998)

Fonte: Reprodução/Warner Bros.

A Conquista é uma espécie de prelúdio, ambientada 500 anos no passado, e centrada nos personagens Kung Lao, Siro e Taja que, liderados por Raiden, precisam defender o Reino da Terra do domínio de Outworld.

No formato live-action, A Conquista teve 22 episódios produzidos pela New Line Entertainmenrt, exibidos entre outubro de 1998 e junho de 1999.

Mortal Kombat Legacy (2011)

Relembre a trajetória de Mortal Kombat nos cinemas e na TV
Fonte: Reprodução/Warner Bros.

Após um longo hiato, Mortal Kombat ganhou nova adaptação, agora com Legacy, um dos maiores acertos da saga fora dos jogos eletrônicos, que mostra uma abordagem nova e diferente das anteriores, com uma maior conexão com o mundo real.

Legacy explica aos fãs os motivos que levaram os lutadores a participarem do torneio Mortal Kombat e foi lançada no formato websérie. O projeto foi idealizado pelo diretor Kevin Tancharoen, que produziu um curta de oito minutos E despertou a atenção da Warner. O estúdio então resolveu produzir a websérie, e o resultado foi um dos melhores já obtido em um audiovisual da franquia.

Bastante objetiva, a websérie vai direto no ponto do que tornou Mortal Kombat um fenômeno entre os amantes do game: brutalidade e violencia, inclusive quando comparada com os próprios filmes dos anos 1990.

No total, foram duas temporadas: a primeira lançada em 2011, e a segunda em 2012. Ambas disponibilizadas no YouTube.

Mortal Kombat Legends: A Vingança de Scorpion (2020)

Fonte: Reprodução/Warner Bros.

No ano passado a Warner Bros. Animation lançou esse filme no formato animado com foco no personagem Scorpion, e mostra a história de Hanzo Hasashi, antes de ser morto pelo clã Lin Kuei e sua vida como Scorpion.

Lord Raiden, protetor do reino da Terra, reúne uma equipe de lutadores de elite – Liu Kang, Sonya Blade e Johnny Cage, para salvar a humanidade em um confronto contra a horda de gladiadores da Exoterra de Shang Tsung.

A animação foi bem recebida e, assim como seu formato no jogo eletrônico, é bastante violenta, com muitas lutas e sangue, ideal para os fãs da história original.

Mortal Kombat (2021)

Fonte: Divulgação/Warner Bros.

24 anos depois de Aniquilação, Mortal Kombat ganhou um novo live-action para as telonas, com direção de Simon McQuoid, e produção do renomado James Wan (Aquaman, Jogos Mortais e Invocação do Mal 1 e 2). O reboot, lançado neste ano, introduz os espectadores no universo do torneio mortal, além da chegada do personagem inédito na franquia, o lutador de MMA Cole Young, que se tornou alvo do imperador Shang Tsung e passou a ser perseguido pelo guerreiro Sub-Zero.

Ao contrário de seus antecessores, o reboot lançado em maio foi mais assertivo e por isso mesmo foi melhor recebido, tanto pela crítica quanto pelos fãs. O novo filme tem uma pegada mais “raiz” e faz uso da violência característica do jogo, com vários Fatalities sangrentos, o que certamente agradou aqueles que acompanham o game desde seu lançamento.

No Brasil, Mortal Kombat foi bem recebido e assumiu o topo da liderança da bilheteria nacional ao desbancar Godzilla vs Kong. De acordo com a Comscore, o live-action faturou R$ 1,48 milhão e recebeu, no total, um público de 81,7 mil pessoas, entre os dias 20 e 23 de maio.

Nos Estados Unidos, o longa foi lançado simultaneamente nas salas de exibição e na plataforma do HBO Max e rapidamente se tornou o produto mais visto do streaming: em apenas cinco dias atingiu 3,8 milhões de visualizações.

Não sabemos ao certo qual será o futuro da franquia nos cinemas, mas a recepção do novo filme parece ser o reinício promissor que Mortal Kombat precisava. Se for o caso, que venham muitos Fatalities pela frente.