Presidente da Blizzard deixa empresa em meio a processo por assédio sexual

Tiago Minervino  - 03 de agosto 2021 ás 16h00

Allen Brack, presidente da Blizzard Entertainment, anunciou, nesta terça-feira (3), que ele não faz mais parte do comando da empresa. A saída do executivo do cargo acontece em meio a um processo de assédio sexual que envolve a gigante dos jogos eletrônicos.

Em comunicado divulgado à imprensa, é informado que Brack irá em busca de “novas oportunidades”. Jen Oneal e Mike Ybarra assumiram a liderança do estúdio:

Nossos novos líderes estão comprometidos com todos os nossos funcionários para dar continuidade ao trabalho e garantir que a Blizzard seja o local de trabalho mais seguro e acolhedor possível para mulheres e pessoas de qualquer gênero, etnia ou orientação sexual.

A Activision Blizzard se viu envolvida recentemente em um escândalo de assédio sexual, moral e discriminação, que culminou em um processo movido pelo Departamento de Emprego e Habitação da Califórnia contra a empresa.

No mesmo mês, funcionários da desenvolvedora realizaram uma manifestação em frente à sede da companhia nos Estados Unidos, e pediram equidade entre todos os trabalhadores.

A gigante de games está sendo acusada de criar uma cultura de “assédio sexual constante” e discriminação de gênero: segundo a denúncia, funcionários masculinos da empresa são acusados de manterem comportamento impróprio, realizarem piadas sobre estupro, além de agarrarem outras funcionárias de forma não consensual.

Por fim, esse tipo de comportamento inadequado e violento teria chegado ao conhecimento dos supervisores da Blizzard que, além de não agirem para conter os atos impróprios, teriam encorajado os empregados a continuarem agindo dessa forma.

Com a saída de Allen Brack, a desenvolvedora de jogos como Warcraft e Overwatch busca restaurar a confiança no mercado e reforçar seus valores contra um ambiente de trabalho hostil.