Dragon Ball Super é retirado do ar na Argentina por cena de assédio sexual

Tiago Minervino  - 02 de setembro 2021 ás 15h00

O Ministério da Mulher, Políticas de Gênero e Diversidade Sexual da Argentina apresentou uma denúncia à Defensoria Pública da União, na qual acusa o anime Dragon Ball Super de reproduzir e incitar conteúdo de violência sexual cometido por um idoso contra uma menor de idade.

De acordo com o órgão, o desenho reproduziu uma ação que “naturaliza” essa prática criminosa. Após a denúncia, Dragon Ball Super foi retirado do ar pelo Cartoon Network (via Digital Trends).

O idoso em questão é um dos personagens centrais da animação, o Mestre Kame, conhecido por seus ímpetos sexuais nos desenhos anteriores da franquia. Na cena questionada pelo Ministério da Mulher argentino, o treinador do Goku pede ao animal mágico Pual que se transforme em uma garota “bela e jovem”.

Segundo Mestre Kame, “seu ponto fraco são pensamentos pervertidos que ele quer superar”. Em seguida, Pual se transforma em uma menina e, então, o idoso tenta agarrá-la, mesmo com a personagem tentando afastá-lo.

Reprodução/Toei Animation

“A cena retrata como a recusa da jovem é ignorada pelo Mestre, que continua a forçá-la a fazer o que não quer, enquanto as demais personagens, visivelmente comovidas e angustiadas com a situação, observam silenciosamente as ações violentas e abusivas do homem adulto”, diz a denúncia.

Após a ação, a Warner Media e o Cartoon Network, responsáveis pela exibição de Dragon Ball Super, se mostraram “preocupados” e vão rever todo o conteúdo para, posteriormente, se for o caso, recolocar a animação do ar.

Dragon Ball Super teve seus episódios exibidos originalmente entre 2015 e 2018. Atualmente, os capítulos estavam sendo reprisados.