Chefes da PlayStation e da Xbox criticam a Activision após casos de assédio

Fernando Giovanetti  - 19 de novembro 2021 ás 17h00

Duas reportagens da Bloomberg (confira aqui e aqui) apontaram que os CEOs da Xbox e PlayStation, Phil Spencer e Jim Ryan, respectivamente, criticaram a postura da Activision Blizzard após os escândalos de assédio sexual dentro da companhia.

Os comunicados, que foram emitidos internamente, aconteceram depois da notícia publicada, pelo The Wall Street Journal, de que Bobby Kotick, CEO da empresa – que recentemente aceitou receber somente um salário mínimo em nome da equidade de gênero dentro da companhia – estava ciente há anos sobre os casos de assédio dentro da companhia.

Phil Spencer comunicou aos seus funcionários que estava “profundamente perturbado e preocupado com os eventos e ações horríveis” que acontecem na Activision, e que está “reavaliando todos os aspectos da relação da Microsoft com a Activision Blizzard e fazendo ajustes proativos”.

Já Jim Ryan, a seus colaboradores, disse estar com “preocupação profunda” com os casos na Activision e que “não acredita que as respostas da empresa (Blizzard) estão abordando adequadamente a situação”.

Vale ressaltar que a informação é fruto de uma matéria investigativa. Xbox e PlayStation, por meio de seus representantes, ainda não se manifestaram oficialmente.