Activision Blizzard se torna alvo de investigação do governo dos EUA

Tiago Minervino  - 22 de setembro 2021 ás 14h00

A Activision Blizzard se tornou alvo de uma investigação liderada pela Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC, da sigla em inglês), uma agência do governo norte-americano, que irá se debruçar sobre as denúncias feitas por funcionários contra situações degradantes de trabalho na empresa, que vão desde assédio sexual e moral à discriminação de gênero.

De acordo com informações do The Wall Street Journal, a agência vai ouvir executivos da companhia, incluindo o CEO, Bobby Kotick. Além disso, a SEC quer analisar documentos, minutas de reuniões, entre outros, para averiguar se a empresa atuou de forma correta para lidar com as graves denúncias.

Em comunicado à imprensa, Kotick afirmou que a Activision Blizzard está “cooperando” com a investigação da agência e ressaltou não haver “lugar em nossa empresa para a discriminação, assédio ou qualquer tipo de desigualdade” (via VG247).

O CEO refere-se às denúncias que pesam contra a companhia como sendo “problemas passados do ambiente de trabalho”, e garante que eles “avançaram”, a partir de iniciativas próprias, “para garantir que a Activision Blizzard seja o melhor lugar para trabalhar”. Por fim, ele destaca estar comprometido para que o caso seja concluído de forma “direta e imediata”.

As denúncias envolvendo a Activision Blizzard foram parar na Justiça dos EUA em julho. Desde então, a empresa anunciou a demissão de líderes dos jogos Diablo 4 e World of Warcraft, além de Allen Brack ter deixado o comando da companhia.