A importância do prêmio de Melhor Atriz no Oscar

Júlia Tetzlaff  - 04 de maio 2021 ás 15h19

O Academy Awards (mais conhecido como Oscar) possui 24 categorias votadas por comitês diferentes, que são compostos por membros da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood.

São cerca de 9.000 membros sigilosos, e todo ano novos membros são convidados — inclusive todos os indicados ao Oscar na edição anterior. Cada membro só pode votar na sua área de especialidade, ou seja, apenas diretores votam na categoria de direção, atores na categoria de atuação masculina e atrizes na categoria de atuação feminina, e assim sucessivamente.

Apenas na categoria de Melhor Filme todos os votantes se unem para selecionar a melhor obra.

Como o Oscar se tornou tão relevante e o que traz de bom e ruim ao longo de seu processo

Em relação à indicação, cada membro das categorias faz uma lista com os nomes, em ordem de preferência.

Os votos são somados e determinados como um voto único e intransferível por grupo, e os vencedores são escolhidos por maioria simples entre os votantes.

O lado positivo desse sistema é que ele é bastante democrático, mas o lado negativo é que há ainda pouca diversidade entre os membros votantes, sendo a maioria já mais velha.

Além disso, não existe obrigação de realmente ter se assistido a qualquer um dos filmes disponíveis para votação e conferido a atuação das atrizes, o que põe em cheque os verdadeiros critérios de escolha por trás da premiação.

As melhores vencedoras de Melhor Atriz do Oscar

Janet Gaynor é a mulher que levou o primeiro Oscar de Melhor Atriz da história da premiação por três filmes de uma vez: Sétimo Céu (1927), O Anjo das Ruas (1928) e Aurora (1927), em 1929.

Fonte: Reprodução

Já Katharine Hepburn detém o título de atriz mais premiada, com quatro estatuetas: Manhã de Glória (1933), Adivinhe Quem Vem para Jantar (1967), O Leão no Inverno (1968) e Num Lago Dourado (1981), além de outras oito indicações ao prêmio.

Por falar em atriz gloriosa e marcante, Bette Davis levou para casa duas estatuetas douradas: Perigosa (1935) e Jezebel (1938), além de outras nove indicações. Por sua vez, Elizabeth Taylor levou o prêmio duas vezes também: Disque Butterfield 8 (1960) e Quem Tem Medo de Virginia Woolf? (1966), além de outras três indicações.

Por falar em atrizes inesquecíveis, Sophia Loren foi a primeira pessoa a ganhar um Oscar por um filme em língua não-inglesa, em 1961, pelo filme Duas Mulheres (1960). E Meryl Streep é a recordista da área de atuação e, claro, nesta categoria, tendo sido indicada nada menos do que 17 vezes e ganhado em duas ocasiões: pelo filme A Escolha de Sofia (1982) e por A Dama de Ferro (2011).

Aliás, Marlee Matlin é a mais jovem vencedora da categoria, com apenas 20 anos de idade, pelo filme Filhos do Silêncio (1986), além de ser a única atriz surda a ser vencer e, também, a ser indicada à premiação. Por sua vez, Jessica Tandy é a atriz mais velha a levar o prêmio para casa, por Conduzindo Miss Daisy (1989), com 80 anos à época.

E, quando falamos sobre versatilidade, Hilary Swank impressionou em duas ocasiões, as quais foram suas únicas indicações, e quando justamente levou o prêmio para casa, pelos filmes Meninos Não Choram (1999) e Menina de Ouro (2004). Por outro lado, Halle Berry é, até hoje, a única atriz negra a vencer o prêmio de atuação principal, por A Última Ceia (2001).

Fonte: Reprodução

Com tantos talentos, vale celebrar a primeira atriz a levar o Oscar por um filme falado em língua francesa: Marion Cotillard, por Piaf – Um Hino ao Amor (2007), ou Natalie Portman e seu retrato fiel sobre uma bailarina obsessiva, em Cisne Negro (2010), Jennifer Lawrence e seu timing perfeito em O Lado Bom da Vida (2012), o Oscar mais do que merecido a Julianne Moore, por Para Sempre, Alice (2014) e a força de Brie Larson em O Quarto de Jack (2015).

Cada uma delas trouxe mais força à categoria de atuação feminina, o que resulta em tantos nomes icônicos, além de diversos outros não citados aqui.

Fonte: Reprodução

E o Oscar de Melhor Atriz de 2021 foi para…

Parece que 2021 realmente fez a diferença na categoria de Melhor Atriz, pois a diversidade das indicadas fez história: Viola Davis, por A Voz Suprema do Blues (2020); Andra Day, por Os Estados Unidos vs. Billie Holiday (2020); Vanessa Kirby e seu Pieces of a Woman (2020); Frances McDormand, de Nomadland (2020); e Carey Mulligan por Bela Vingança (2020).

Todas candidatas fortíssimas, que tornaram a disputa bastante acirrada, tendo em vista o histórico de outras premiações. Mas, mesmo assim, foi Frances McDormand que levou para casa estatueta.